Artigo da semana: SER EMPREENDEDOR NO MERCADO DAS LETRAS

Sou uma empreendedora do mercado editorial e posso garantir que ter um modelo de negócio inovador e criativo é o grande segredo para empreender. Muitas pessoas acham que modelo de negócio é a mesma coisa que plano de negócio. Na verdade, são bem diferentes. Gosto muito de ler os artigos do portal RockContent e um desses artigos explora bem o significado de cada um desses termos:

Um Modelo de Negócio é a representação de como a sua empresa gera e entrega valor para os seus clientes. Isso é feito a partir da estruturação dos elementos e etapas que fazem a sua empresa ser única, e demonstram o “como” ela faz o que faz. Um Plano de Negócios é um documento detalhado em que o empreendedor deve descrever todas as etapas que envolvem ou fazem parte do seu negócio”.

Ana Pirolo e as publicações da Editora da Galeria

Resumidamente, um modelo de negócio descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor por parte de uma organização. Ou seja, um modelo de negócio determina o produto ou serviço que a organização irá produzir ou fornecer, o método de produção, o seu público alvo e suas fontes de receitas. Observe que temos alguns aspectos a serem analisados nessa descrição de modelo de negócio: a lógica de criação e entrega e captura de valor. Basicamente, esses três aspectos são considerados atividades-chave de qualquer modelo de negócio.

Além da definição desses três aspectos, o modelo de negócio precisa ser criativo e inovador. A criatividade é a ideia que atende a uma necessidade do consumidor e a inovação é o processo de transformar essa ideia em realidade. Segundo o consultor em inovação Andrew C. Marshal, muitas organizações buscam a criatividade, mas o que realmente precisam é perseguir a inovação: não faltam ideias e sim o trabalho de colocar essas ideias em ação.

A ideia para um negócio deixará de ser apenas uma ideia quando colocada em prática, isto é, em ação. Mas é preciso, antes de tudo, entender a ideia e ainda o empreendedor deverá responder questões do tipo:

  • O que vou fazer? A resposta é a proposta de valor.
  • Para quem vou fazer? A ideia é definir o público consumidor e as melhores maneiras de se relacionar com ele.
  • Como vou fazer? O objetivo é descobrir quais são os principais recursos, atividades e parceiros.
  • Quanto vou gastar? A finalidade é saber quais são as receitas e qual será a estrutura de custo para viabilizar o negócio.

Decidi ter um modelo de negócio diferenciado do que estamos acostumados no mercado editorial: escritor/editora/livraria/leitor e aplicar um novo conceito: escritor/editora/leitor, com venda direta para o leitor, sem intermediários.  Penso que com este modelo de negócio, o livro chegará mais em conta para o leitor e o autor poderá receber uma porcentagem maior do valor da capa.

Resolvi seguir este caminho, mesmo porque, sou escritora e quero viver da comercialização dos meus livros, também. E para começar, respondi cada uma das questões apresentadas acima. Através dessas questões, pode-se traçar um caminho a ser seguido.

Ser escritor é também ser empreendedor de suas obras literárias e entender o mercado editorial auxilia na divulgação e comercialização de seus livros.

Trecho retirado do e-book “E por falar em empreendedorismo editorial”, de Ana Pirolo – Editora da Galeria. http://www.editoradagaleria.com.br/empreendedorismo.html

E-book “E por falar em empreendedorismo editorial” de Ana PIrolo

Saiba mais sobre Ana Pirolo linktr.ee/ana.pirolo.escritora

Acompanhe todos os artigos da semana. Clique aqui.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s